BREVE HISTÓRICO DO SENAR

Implantado em 21 de maio de 1993, por FÁBIO DE SALLES MEIRELLES, Presidente da Federação da Agricultura do Estado de São Paulo, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural - Administração Regional do Estado de São Paulo, SENAR/SP, é uma instituição de direito privado sem fins lucrativos, mantida por recursos oriundos do próprio produtor rural.

O SENAR/SP realiza suas funções principais de formação profissional e de promoção social rurais, inclusive, aquelas decorrentes do seu programa Promovendo a Saúde no Campo.

Contudo, para a realização de tão importantes funções, o SENAR/SP busca celebrar convênios com seus parceiros naturais, que são os Sindicatos Rurais do Estado de São Paulo.

Além desses convênios, busca a parceria, entre outras instituições, com o Governo do Estado do Estado de São Paulo; com o Poder Judiciário municipal; com a FUNDACENTRO, órgão do Ministério do Trabalho; com as Prefeituras; com empresas industriais e comerciais etc.
FONTE: www.faespsenar.com.br


OBJETIVOS DO SENAR
As ações do SENAR são organizadas e desenvolvidas de forma sistematizada, seguindo um processo de planejamento, execução, acompanhamento, avaliação e controle. São ações educativas, que visam ao desenvolvimento do Homem Rural, como cidadão e como trabalhador, numa perspectiva de crescimento e bem-estar social.

NACIONAL
Organizar, administrar e executar, em todo território nacional, o ensino da Formação Profissional Rural e a Promoção Social, em centros instalados e mantidos pela Instituição ou sob forma de cooperação, dirigida aos trabalhadores rurais e pequenos produtores.

ESTADUAL
Organizar, administrar e executar, no território de São Paulo, o ensino da Formação Profissional e a Promoção Social dos trabalhadores rurais, que atuam exclusivamente na produção primária de origem animal e vegetal, e do pequeno produtor e de seus familiares;

Assistir às entidades empregadoras na elaboração e execução de Programas de treinamento e na realização de aprendizagem metódica;

Com base nos princípios da livre iniciativa e da economia de mercado, estabelecer e difundir a metodologia da Formação Profissional e da Promoção Social do trabalhador rural e do pequeno produtor e de seus familiares;

Exercer, em conjunto com o SENAR/Administração Central, a coordenação, supervisão e fiscalização da execução dos programas e projetos de Formação Profissional Rural e a Promoção Social;

Prestar assessoria a entidades governamentais e privadas relacionadas com a formação de profissionais rurais e atividades assemelhadas.

Celebrar parcerias e outros amplos entendimentos com os diversos segmentos dos produtores rurais e empresas agrícolas, para se alcançar, comomaior rapidez, os objetivos do SENAR/SP.

Com esses objetivos, a Formação Profissional Rural e a Promoção Social, por meio de processos educativos vinculados à realidade do meio rural, visam propiciar ao homem do campo o seu desenvolvimento integral, como cidadão e como trabalhador, dando-lhe uma perspectiva de crescimento e bem-estar social.

FORMAÇÃO PROFISSIONAL RURAL
É um processo educativo, não-formal, participativo e sistematizado, que possibilita aos trabalhadores e pequenos produtores rurais a aquisição de conhecimentos, habilidades e atitudes para o exercício de uma ocupação.

Objetivos
De acordo com as diretrizes básicas do SENAR, a Formação Profissional Rural tem por objetivo a profissionalização do homem do campo, calcada em uma aprendizagem flexível, conduzida por um processo contínuo e dinâmico, realizado por meio de cursos que permitam o desenvolvimento da ocupação de forma correta, segura e eficaz.

LINHAS DE AÇÃO
O SENAR/SP atua, nas ações de Formação Profissional Rural, em 7 Linhas de Ação que derivam em grandes áreas ocupacionais e estas, por sua vez, em ocupações rurais.

Portanto, estas Linhas de Ação enfocam as tarefas que o homem rural desenvolve e, conseqüentemente, resultará na produção e na prestação de serviços no meio rural.

Sendo assim, fica claro que a atuação do SENAR/SP tem como principal alvo o comportamento profissional do Homem do Campo.

Todas as ações objetivam a qualificação, o aperfeiçoamento, a especialização e a atualização dos trabalhadores e produtores rurais nas linhas de ação das diferentes atividades agro-silvo-pastoris, a saber:

AGRICULTURA
A agricultura tem o mais vasto dos campos de atuação em função da profissionalização do homem do campo.

Sendo assim, as ações são desenvolvidas tendo em vista a tendência mundial da intensificação da produção em diversos ciclos culturais, bem como a diversificação na busca de uma melhor rentabilidade.

Respeitando as tendências do Estado de São Paulo, são oferecidas oportunidades para a profissionalização dos trabalhadores e pequenos produtores rurais nas ocupações denominadas preponderantes e/ou potenciais para a fixação e melhoria das condições de vida desta população.

PECUÁRIA
Esta linha de ação oferece ao trabalhador e ao pequeno produtor rural oportunidades que redundarão em maior e melhor capacidade produtiva, pela aquisição de novos conhecimentos e do melhor gerenciamento de suas atividades, no processo produtivo.

Como resultado global, na pecuária, estarão sendo supridas as necessidades de qualidade e quantidade de produtos, com investimentos de pequena monta, mas com grandes resultados, valorizando o homem.

SILVICULTURA
A silvicultura vem se tornando uma opção tanto ao produtor rural como ao trabalhador em uma perspectiva de melhoria em suas condições profissionais e sociais.

Assim, esta linha de ação proporciona a profissionalização do homem rural tendo em conta a diversificação da propriedade, ou sendo esta a atividade principal.

Isto traz a oportunidade de outros membros da família, notadamente as mulheres, para a execução de tarefas relevantes e que necessitam de habilidades sutis, como a sangria ou a enxertia.

Possibilita, ainda, o aproveitamento de madeira da própria propriedade e pela possibilidade da recomposição florestal e preservação ambiental.

AQÜICULTURA
Há a necessidade de mão-de-obra qualificada para o atendimento desta crescente atividade que proporciona novas oportunidades ao trabalhador rural.

Por outro lado, busca-se a profissionalização do pequeno produtor rural, que opte por essa atividade, para ter melhores resultados na produção de animais aquáticos.

AGROINDÚSTRIA
Com a economia globalizada e a concorrência proporcionada pela entrada de produtos estrangeiros com qualidade e preço, o produtor e o trabalhador rural são obrigados a buscar opções tanto no aprimoramento dos produtos oferecidos à população em geral, como na busca de opções para a sua manutenção e/ou aumento da renda familiar. Assim, a profissionalização dessa mão de obra é fundamental para esse objetivo.

Dessa forma, a Agroindústria é desenvolvida no sentido de possibilitar a aquisição de novos conhecimentos, habilidades e a atitude profissional para a agregação de valor aos produtos originários da propriedade rural, o que possibilitará, inegavelmente, em melhor renda crescente.

ATIVIDADES DE APOIO AGRO-SILVO-PASTORIS
O homem, no dia-a-dia de seu trabalho, necessita de conhecimentos específicos e o desenvolvimento destes deverá estar atrelado à questão do gerenciamento do trabalho ou da propriedade rural.

Logo, ações voltadas ao homem em relação à administração rural, à operação de máquinas agrícolas e à aplicação de agrotóxicos, entre outras ocupações, proporcionam a correta utilização dos recursos disponíveis sem perder de vista a segurança no trabalho e a preservação ambiental.

O SENAR/SP prepara-se para estabelecer cursos referentes à agricultura orgânica, para orientação de técnicas e conhecimentos aos trabalhadores rurais e produtores. Países mais avançados já iniciaram, de há muito, esta atividade, inclusive, a agricultura orgânica já se faz presente com seus produtos no mercado internacional, com valores superiores aqueles oriundos da agricultura que se utiliza de produtos químicos.

ATIVIDADES RELATIVAS À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS
A profissionalização do homem rural, nesta linha, justifica-se pela multidisciplinaridade que caracteriza o produtor e o trabalhador rural.

Esta capacitação proporciona ao homem do campo uma melhoria nas condições de vida, tornando-o independente no momento de fazer pequenos reparos em sua propriedade e proporcionando-lhe ganhos adicionais com a prestação de serviços, quando as condições exigirem ou seja solicitado.

METODOLOGIA
As ações de Formação Profissional Rural levam em conta as necessidades dos produtores e trabalhadores rurais, das unidades de produção e do mercado de trabalho. Por esta razão, os cursos deverão ser propostos mediante diagnósticos que apontam as atividades preponderantes da região, sua vocação, e o perfil da clientela. Uma vez identificadas as atividades e a clientela, será elaborado o plano de curso, do qual constarão: o conteúdo ocupacional, o conteúdo programático e o material didático a ser utilizado.

A metodologia consiste no processo de educação continuada e flexível em sistema modular, com o envolvimento da comunidade. Resumindo, a metodologia adotada na Formação Profissional Rural está embasada em quatro vigamentos, a saber:

1. Diagnóstico técnico-socioeconômico;
2. Conteúdo ocupacional;
3. Conteúdo programático;
4. Material didático.

PROMOÇÃO SOCIAL
É um processo de desenvolvimento humano e social alcançado por meio de atividades de caráter educativo, preventivo, econômico e de instrumentalidade/complementaridade da Formação Profissional Rural.

A Promoção tem a função de complementar e ser instrumento da Formação Profissional, na medida em que é um meio para se atingir a eficiência necessária para atender o mercado de trabalho rural.

Nas ações instrumentais e complementares à Formação Profissional e Iniciação Profissional Rural, a Promoção Social do SENAR/SP busca descobrir e potencializar as habilidades básicas e de gestão do homem do campo e de seus familiares.

Por instrumentalidade deve ser entendido o conjunto de conhecimentos que devem ser ministrados ao homem do campo a fim de que, sob o primado do trabalho, venha a se realizar o bem-estar e a justiça social.

A complementaridade compreende a necessidade de que as atividades de Promoção Social sejam propulsoras da própria profissionalização dos trabalhadores, para melhoria dos benefícios relativos à sua qualidade de vida e, em conseqüência, das condições do meio rural brasileiro e sua integração social.

Objetivos
Garantir um processo socioeducativo vinculado à realidade do meio rural que vise propiciar ao homem seu desenvolvimento integral como cidadão e trabalhador, numa perspectiva de crescimento e bem-estar.
O processo pressupõe estudo e diagnóstico: conhecer a região, a população rural, suas necessidades, recursos e potencialidades, avaliando as perspectivas de mudança social; preparo das atividades no sentido de reunir e congregar esforços para estudar e propor a execução de ações destinadas a atingir o objetivo, que é a melhoria das condições de vida da população rural.

LINHAS DE AÇÃO

SAÚDE
Trata-se do desenvolvimento de ações de caráter preventivo e de orientação junto à população rural sobre os diversos aspectos da saúde física e mental. A saúde permite o bem-estar total do homem do campo, ensejando maior eficiência pessoal, econômica e social.

ESPORTE E LAZER
Esporte é o conjunto de atividades de caráter educacional e participativo que propicia a manutenção da saúde e o bem-estar físico, social e mental do homem; cria condições para a prática de esportes; concorre para o processo de Formação Social pela participação, integração e responsabilidade, fortalecendo as relações pessoais, de parcerias e o espírito associativista. Lazer é o conjunto de atividades prazerosas e voluntárias centradas em interesses culturais, físicos, artísticos e associativistas. Propicia atividades lúdicas e desenvolve o sentido de solidariedade grupal.

ORGANIZAÇÃO COMUNITÁRIA
É a resultante do esforço cooperativo de uma comunidade, que toma consciência de seus próprios problemas e se organiza para resolvê-los.

ARTESANATO
O Artesanato Rural é entendido como a produção de bens que visam atender necessidades utilitárias e/ ou decorativas, com a função de complemento básico da economia rural, pelo aproveitamento de matérias-primas e subprodutos da agricultura e pecuária.

EDUCAÇÃO E CULTURA
Educação é o processo de desenvolvimento do Homem do Campo, visando o reconhecimento e desenvolvimento de suas habilidades básicas e de gestão, ensejando o despertar de sua consciência crítica e participativa para o enfrentamento das situações da vida como trabalhador e cidadão.
Por Cultura entende-se o complexo dos padrões de comportamento, das crenças, dos costumes, das instituições, das idéias e dos valores espirituais e materiais transmitidos coletivamente. Inclui, ainda, as maneiras como o conhecimento é expresso por uma sociedade pela sua arte, religião, esportes, jogos, tecnologia, ciência, política e civismo.

METODOLOGIA
As Atividades da Promoção Social estão fundamentadas em quatro vigamentos:

1. Diagnóstico técnico-socioeconômico;
2. Instrumentalidade e complementaridade às ações de Iniciação e de Formação Profissional Rural;
3. Conteúdo programático;
4. Material didático.

A partir do conhecimento da realidade socioeconômica, são estabelecidos os conteúdos programáticos específicos para cada realidade e necessidade, e seus materiais didáticos correspondentes. Esses materiais são utilizados no desenvolvimento das atividades cujo caráter principal é o de instrumentalidade e complementaridade às ações de Formação e Iniciação Profissional.
FONTE: http://www.faespsenar.com.br/

Postagens mais visitadas deste blog

Porta calcinha/cueca