Ikebana

SIGNIFICADO

Ike = Vida
bana = flor;

ou seja;

Ikebana = Vivificação da flor

Os arranjos florais feitos com a técnica oriental do ikebana são tão bonitos que até daria para classificá-los como obras de arte.

Mas na verdade o ikebana é muito mais do que isso.

Os japoneses acreditam que enquanto fazem os arranjos as pessoas trabalham três pontos vitais da existência: percepção, criatividade e individualismo.

Além disso, entram em contato com a energia da terra e do céu e conseguem aproximar-se mais do equilíbrio do universo.

Existem vários estilos de Ikebana, o mostrado aqui é o estilo Sanguetsu,criado por Mokiti Okada.

"Sanguetsu" significa "montanha e lua".


IKEBANA SANGUETSU

A Ikebana, nome pelo qual é conhecida a arte de compor as flores naturais, nasceu no oriente com o propósito de expressar certos conceitos filosóficos da religião budista.
A palavra Ikebana, que significa "flores vivas", é traduzida por arranjo floral.Uma tradução entretanto, não correspondente ao sentido da palavra sendo preferível a significativa expressão- Vivificação Floral.

A arte de Vivificação Floral existe no Japão desde os tempos antigos. Atualmente são 3 mil estilos praticados no oriente. Entre eles o estilo Kado Sanguetsu (Montanha e Lua). Criado por Mokiti Okada e que agora demonstramos a vocês. Este estilo assenta-se na filosofia de Mokiti Okada, que visa incorporar a Verdade, o Bem e o Belo em todas as atividades humanas. Seu objetivo é, a partir da beleza e da harmonia da flor, cultivar e elevar a sensibilidade estética do praticante da Arte do Ikebana e de quem a aprecia. Para tanto, o Ikebana Sanguetsu une o sentimento humano à força da grande natureza, valorizando-se o equilíbrio entre as flores utilizadas, bem como a gratidão pelas bênçãos de Deus expressas até mesmo num simples botão de flor.

A flor é um elemento ativo na concretização de um mundo melhor. Do contato com ela, resulta a intensificação da sensibilidade do ser humano em relação ao belo que existe dentro de si próprio e nos seres ao seu redor.

A filosofia de Mokiti Okada, destaca que é essencial o desenvolvimento da nossa sensibilidade com relação ao belo para que o nível espiritual das pessoas possa se elevar em busca de um mundo com maior harmonia entre os seres.

A Academia Sanguetsu de Vivificação pela flor, tem como objetivo principal a difusão desse ensinamento, através da arte milenar do Ikebana, onde a relação homem-natureza assume uma dimensão muito acima da questão puramente material.

Assim, o Ikebana Sanguetsu não se constitui apenas em um elemento decorativo mas propicia o despertar da sensibilidade para o Belo, enobrecendo o sentimento de respeito ao ser Humano e à natureza e harmonizando a pessoa consigo e com o mundo.

FOTOS

Moribana Shasseitai

Estudo de linhas
Housha - Estudo de linhas radiantes
Tyoku Sem Estudo de linhas curvas
Moribana - Estudo de linhas com Men-Massu
Arranjo Livre
Nagueire Estudo de linhas curvas

Materiais usado na confecção de Ikebana

 Hanadomê - Suporte de chumbo com pregos, usado para fixar as flores e galhos

Floral - Esponja macia, usada para fixar as flores e galhos. Antes de usá-la, colocá-la dentro d'água por 4 horas.
Tesoura de poda - Usada para cortar as flores e galhos.




Vasos - Local onde o arranjo será feito.

 Flores e galhos - Dê preferência às flores da época.






Biografia de Mokiti Okada

Mokiti Okada, cujo nome religioso é Meishu-Sama, nasceu no dia 23 de dezembro de 1882, no bairro de Hashiba, na cidade de Tóquio, Japão.
Desde criança, foi uma pessoa dedicada às artes e preocupada com os problemas da humanidade.

Após inúmeras dificuldades na vida familiar e empresarial, ele foi cada vez mais se aprofundando na filosofia, na religião e no estudo sobre a origem do sofrimento humano.

Como resultado de inúmeras pesquisas e uma imensa sabedoria, em 1º de janeiro de 1935, instituiu a Igreja Messiânica Mundial com o objetivo de concretizar o ideal de construir um mundo consu­bstanciado na verdade, no bem e no belo, isento de doença, pobreza e conflito.

Meishu-Sama faleceu em 1955, deixando para a humanidade uma doutrina em que o Johrei, o método de Agricultura Natural e o Belo são como as (três) práticas básicas para se alcançar a verdadeira saúde, a prosperidade e a paz.

São estas as suas palavras: “Pude intuir esta ma­ravilha que é o Johrei graças ao conhe­cimento que tive sobre a existência do ‘espírito’ e ao princípio fundamental de que, com a purificação do espírito, o corpo volta à normalidade. Esse prin­cípio deve ser considerado como um pre­núncio da cultura do futuro. Realmente, ele representa uma grande revolução para a Ciência e, se o aplicarmos em todos os setores da vida, o bem-estar da humanidade aumentará incalculavelmente”.

Deixou três Solos Sagrados (protótipos do mundo ideal) em Hakone, Atami e Kyoto, dois museus de ar­­te (Atami e Hakone), conceituados inter­nacio­nalmente, e preciosos ensinamentos que, embora escritos nas décadas de 30 a 50, parecem feitos nos dias atuais, pela sua perfeita aplicabilidade na vida cotidiana, como atestam os relatos de centenas de milhares de pessoas salvas dos mais variados tipos de sofrimento.

Fonte:
http://www.pensapositivo.com.br/
http://www.messianica.org.br

Postagens mais visitadas deste blog

Porta calcinha/cueca