Prece das Mãos

Pai ... 

Toma minhas mãos, 
Que são parte da obra que Tu assinaste: eu mesmo. 
Olha as linhas que são os traços do meu destino 
E reforma-as na medida do meu merecimento. 
Olha minhas digitais que indicam 
Não haver ninguém igual a mim , 
O que prova a Tua originalidade ... 
... Examina-as e julga os crimes 
Que porventura eu tenha cometido. 

Pai ... 
Vê nas minhas mãos o histórico das minhas doações 
E até que ponto elas foram válidas. 
Vê também o histórico de tudo o que recebi 
E julga se sou suficientemente grato. 

Pai ... 
Nas minhas mãos estão as marcas dos serviços prestados... 
Vê se trabalhei e tenho trabalhado da forma que Tu aprovas. 
Vê quantos foram os toques de afeto e de agressão 
E apresenta-me o saldo. 
Julga as palavras escritas em meu diário de alegrias e de aflições. 

Pai ... 
Vê os apertos de mãos que já dei, os acenos de adeus 
E os sinais de 'sim' e de 'não'. 
Estão sob Teu juízo minha honestidade e minhas dores. 

Pai ... 
Toma minhas mãos ... 
Sente como se através delas o meu coração falasse. 
Diz se posso olhar-Te nos olhos 
Ou com elas esconder a minha face. 

Do Livro 'Preces Sem Pressa' 
de Silvia Schmidt

Postagens mais visitadas deste blog

Porta calcinha/cueca