LEITURA DE MAPAS

A leitura de mapas é um requisito exigido em quase todas as atividades humanas, pois nossa sociedade está imersa em mapas de diferentes tipos, que fazem parte do cotidiano das pessoas. Os mapas representam e sintetizam informações históricas, políticas, econômicas, físicas e biológicas de diferentes lugares do mundo.
No passado, eles eram documentos confidenciais, que circulavam somente entre aqueles que participavam do poder.
No presente, ter conhecimento do funcionamento, das diferentes funções dos mapas e saber utilizá-los ajuda a resolver problemas cotidianos de planejamentos e projetos.
Tem sido constatado que o analfabetismo geográfico é muito grande mesmo em países desenvolvidos; portanto, podemos esperar que a “taxa de analfabetismo” seja também elevada em países e comunidades nos quais o ensino seja mais precário.
O mapa hoje é algo essencial. Não apenas porque nos ajuda a compreender as transformações e os problemas do mundo atual, mas também nos permite usufruir, com liberdade e segurança, um dos direitos universais do homem, garantido inclusive em nossa Constituição de 1988: o de ir e vir.

Cartografia

A arte de traçar mapas começou com os gregos que, no século VI a.C., em função de suas expedições militares e de navegação, criaram o principal centro de conhecimento geográfico do mundo ocidental.
O mais antigo mapa já encontrado foi confeccionado na Suméria, em uma pequena tábua de argila, e representa um Estado.
A confecção de um mapa normalmente começa a partir da redução da superfície da Terra em seu tamanho. Em mapas que figuram a Terra por inteiro em pequena escala, o globo se apresenta como a única maneira de representação exata.
A transformação de uma superfície esférica em uma superfície plana recebe a denominação de projeção cartográfica.

Projeção de Mapas:

1. Mercator: distorce a proporção do tamanho dos continentes, mas mantém correta a forma (contorno). Quanto o aspecto ideológico, esta projeção reforça uma visão eurocêntrica (a Europa como centro do mundo) e expressa o domínio das metrópoles (hemisfério norte) sobre as colônias (hemisfério sul)

2. Peters: distorce a forma dos continentes, mas mantém corretas as proporções entre as suas áreas. Esta projeção é conhecida como “mapa para um mundo solidário”, pois é vista como uma representação que valoriza os paises subdesenvolvidos e tenta eliminar a visão de superioridade cultural dos paises do hemisfério norte sobre o hemisfério sul.
3. Azimutal: a superfície da terra é projetada sobre um plano a partir de uma determinada região. O ponto escolhido é projetado sempre no centro do mapa.

Anamorfose ou cartograma.

É uma representação cartográfica em que as áreas de logradouros (municípios, estados, paises e continentes) sofrem deformações matematicamente calculadas, tornando-se diretamente proporcionais a determinado parâmetro que se está considerando.
Ex.: numa anamorfose, a área de certa região aumenta ou diminui proporcionalmente a sua população.



Fonte:
1. http://www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp?id=506
2. http://www.algosobre.com.br/geografia/cartografia.html
3. Etico Sistema de Ensino - novo + enem

Postagens mais visitadas deste blog

Porta calcinha/cueca